facebooklinkedin
Publicidade
:: Home :: Notícias :: Tailândia quer ampliar comércio
Notícias Veja mais
Tailândia quer ampliar comércio - 18/04/2013
A Tailândia quer aumentar suas relações com a América Latina e em especial com o Brasil, com o qual registrou um superávit de US$ 432,6 milhões em 2012 na balança comercial. A expectativa é de que este resultado seja revertido a médio prazo, pois os tailandeses desejam importar mais produtos manufaturados brasileiros, além dos básicos que já adquire, como soja, algodão, borracha, minérios, ferro, aços e farinhas, entre outros. 
 
Delegação da embaixada tailandesa no Brasil visitou ontem a Associação Comercial de São Paulo (ACSP),  para conhecer melhor o que o setor produtivo brasileiro tem a oferecer e também para apresentar sua estrutura econômica. 
 
O embaixador tailandês no Brasil Tharit Charungvat ressaltou que seu país é o principal parceiro dos brasileiros no Sudeste Asiático e que as duas nações trocaram cerca de US$ 4,5 bilhões no ano passado. "Nosso volume de transações com o Brasil é superior ao que os brasileiros registraram no ano passado com muitos de seus vizinhos latino-americanos", afirmou.
 
Durante o encontro, Charungvat enfatizou que seu país conta com dez sedes de indústrias automobilísticas e que o segmento é muito importante para a sua economia. Ele lembrou que a Tailândia é o décimo quarto maior fabricante de automóveis do mundo, considerada a Detroit do Sudeste Asiático,  enquanto o Brasil ocupa a sétima posição. Em razão deste atual desempenho das duas nações, elas podem explorar melhor as relações comerciais nesse e em outros campos de atuação. "Nossa filosofia é que o comércio pode ser um instrumento de sustentabilidade para todos os países e não nos importamos se nos próximos anos houver um aumento expressivo na importação de produtos brasileiros", acrescentou. 
 
Luiz Roberto Gonçalves, vice-presidente da ACSP, ressaltou a importância do encontro para aprofundar o relacionamento entre os dois países. Segundo ele, o papel da entidade é estabelecer contato entre os empreendedores brasileiros e tailandeses através da organização de encontros em feiras e em viagens. Gonçalves lembrou que a entidade desenvolveu estas atividades para estimular os empreendedores brasileiros que desejam exportar seus produtos e serviços. 
 
Números – No ano passado, as exportações brasileiras para a Tailândia somaram US$ 2,071 bilhões enquanto as importações atingiram US$ 2,503 bilhões. Entre os principais itens exportados para o parceiro do Sudeste Asiático, destacam-se ração animal, grãos (soja e sementes), ferro fundido, aço, veículos, tratores, acessórios automotivos, algodão reatores nucleares, peles, couros, borracha e  minérios. 
 
Entre as importações vindas do mercado tailandês, os maiores volumes foram os de caldeiras, máquinas, aparelhos mecânicos, maquinário elétrico, aparelhos de reprodução de som, plásticos, instrumentos ópticos e de fotografia e cinematográficos, material médico e cirúrgico, fibras sintéticas, móveis em geral, mobiliário hospitalar, aparelhos de iluminação, preparações de carne, peixes ou crustáceos, entre outros.
Diário do Comércio
Calendário de eventos
Outubro