facebooklinkedin
Publicidade
:: Home :: Notícias :: Pequenos negócios de confecção de roupas têm grande potencial para exportação, aponta estudo
Notícias Veja mais
Pequenos negócios de confecção de roupas têm grande potencial para exportação, aponta estudo - 14/10/2021

Publicado em 13 de outubro de 2021 às 07h01

As micro e pequenas empresas do setor de confecção de roupas e acessórios são as que mais têm potencial para exportar seus produtos, segundo estudo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).


De acordo com a pesquisa, as 10 atividades entre os pequenos negócios que têm maiores chances de se beneficiar do mercado internacional são:

  • Confecção de roupas e acessórios;
  • Fabricação de produtos alimentícios;
  • Conservas de frutas, legumes e outros vegetais;
  • Móveis;
  • Sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal;
  • Produção de lavouras permanentes (cultivo perenes, como café, maçã e laranja, por exemplo);
  • Laticínios;
  • Moagem, fabricação de produtos amiláceos e de alimentos para animais;
  • Fabricação de estruturas metálicas e obras de caldeiraria pesada;
  • Fabricação de estruturas metálicas e obras de caldeiraria pesada;
  • Fabricação de instrumentos e materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos.
“São negócios que possuem produtos com características territoriais muito fortes, que trazem a marca Brasil e suas diversidades, que despontam como oportunidades em potencial e que devem começar a analisar as possibilidades de exportação e a se preparem para ampliarem as suas fronteiras”, afirma Carlos Melles, presidente do Sebrae.

Confecção de roupas

Em 2019, o setor de confecção de roupas e acessórios contava com mais de 42 mil micro e pequenas empresas, responsáveis por quase 370 mil postos de trabalho formal, de acordo com o estudo.

A pesquisa mostra que as oportunidades de exportação estão, principalmente, em 18 estados: Alagoas, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

As confecções para uso feminino têm destaque no setor, principalmente com os seguintes produtos:

  • Camisetas de malha;
  • Maiôs e biquínis;
  • Calças;
  • Shorts.

 

Os principais destinos identificados como oportunidades para exportação dos produtos desses negócios são:

  • Argentina
  • Bolívia
  • Chile
  • Equador
  • Estados Unidos
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • Portugal
  • Uruguai

Cenário

Em 2019, o Brasil ocupava a 27º posição na lista dos maiores exportadores mundiais, segundo ranking da Organização Mundial do Comércio (OMC). Naquele ano, as exportações do país alcançaram aproximadamente US$ 221,1 bilhões, com queda de 4,6% na comparação com 2018. Em 2020, as exportações do país registraram nova contração de 5,4%, totalizando o valor de US$ 209,2 bilhões.

O estudo ressalta que esses números correspondem a um panorama geral, com a principal atuação de grandes empresas, muitas multinacionais. Portanto, não representam padrões de atuação e acesso a mercados que possam ser facilmente adotados por micro e pequenas empresas.

“Cabe conhecer e analisar peculiaridades do ambiente de negócios pertinentes às micro e pequenas empresa, e identificar, em nível geográfico estadual, os setores que apresentam estrutura produtiva e que, apesar de ainda exportarem de forma tímida, possuem características que despontam como oportunidades em potencial”, aponta o estudo.

Melles ressalta a importância dos pequenos negócios à economia brasileira e para a geração de empregos no Brasil. Só entre janeiro e março deste ano, as micro e pequenas empresas criaram 587 mil novos postos de trabalho com carteira assinada no Brasil, 70% do total de empregos gerados no período.

Há, pelo menos, 50 setores em todos os estados brasileiros das cinco regiões com potencial para exportar, segundo a pesquisa.

“Esse trabalho tem a intenção de fazer com que os empreendedores, de acordo com o seu setor e território, conheçam melhor o mercado internacional e preparem seus produtos para ultrapassar as fronteiras”, afirma Melles.

O presidente do Sebrae explica que um dos pontos relevantes do estudo é que ele utiliza as distâncias entre os estados produtores e o país de destino para diminuir o custo logístico, além do idioma oficial do país de destino.

“Essa é uma das formas de medir a aproximação cultural, que tende a facilitar os negócios, especialmente para as micro e pequenas empresas que, em geral, possuem uma estrutura administrativa enxuta, sem um setor exclusivamente dedicado ao comércio exterior”, diz.

A notícia foi publicada pelo G1.

https://g1.globo.com/empreendedorismo/noticia/2021/10/13/pequenos-negocios-de-confeccao-de-roupas-tem-grande-potencial-para-exportacao-aponta-estudo.ghtml
Calendário de eventos
Dezembro